Dia D contra H1N1 é um fracasso

O principal dia de vacinação, separado pelo Ministério da Saúde, para combater o vírus da gripe H1N1, nem de longe atingiu as expectativas. Pelo menos oito estados registraram falta das doses, destinadas para grupos prioritários. Postos de saúde das principais regiões do país foram obrigados a fechar as portas mais cedo neste sábado, (30). gripe-vacina-A

Segundo a coluna ‘Bem Estar’ do site de notícias da Globo, faltaram vacinas em diversas cidades do Amapá, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Em Campo Grande, teve confusão e muita gente voltou pra casa sem tomar a vacina.

Em nota, o Ministério da Saúde informou que vai reavaliar a distribuição e que adquiriu 54 milhões de doses, número superior ao que se pretende imunizar até 20 de maio, que é de 50 milhões de pessoas. O Ministério da Saúde reiterou ainda que a vacina é segura e que reduz em até 45% as chances de internação, em casos de manifestação da doença.

São Paulo - Vacinação dos profissionais de saúde contra H1N1 no Hospital das Clínicas (Rovena Rosa/Agência Brasil)
São Paulo – Vacinação dos profissionais de saúde contra H1N1 no Hospital das Clínicas (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Nesta primeira fase da campanha, será dada prioridade aos grupos considerados de risco. Devem se vacinar pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis meses e menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes e funcionários do sistema prisional.

Ao PB1, o Ministério da Saúde informou que o balanço oficial do Dia D de vacinação só deve ser divulgado na próxima semana. Na Paraíba, não houve qualquer registro de confusão ou falta de doses. Quem não conseguiu se vacinar neste sábado pode procurar uma unidade de saúde até 20 de maio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − nove =