Harvard concede título honoris causa a FHC e Spielberg

Título de FHC destaca os laços da universidade com o Brasil, diz Harvard.
26 foi orador da cerimônia de formatura.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o cineasta Steven Spielberg estão entre as nove personalidades que receberam nesta quinta-feira (26) título honoris causa da Universidade Harvard, nos Estados Unidos.

De acordo com Harvard, o título honoris causa concedido a FHC destaca os laços da universidade com o Brasil e segue o recente anúncio de aumentar a ajuda de longa data de Jorge Paulo Lemann para estudantes brasileiros matriculados na universidade e para pesquisas sobre o Brasil.

Steven Spielberg foi o orador da cerimônia de formatura da universidade, que também entregou diplomas de graduação, mestrado e doutorado durante todo o dia.

Em seu discurso, disse que em um mundo cheio de vilões, os graduandos de Harvard devem se tornar heróis. “Este mundo está cheio de monstros. Há o racismo, a homofobia, o ódio étnico, ódio de classe. Há o ódio político e o ódio religioso”, afirmou. “A maneira com que você cria o futuro é estudando o passado. Atrocidades estão acontecendo agora, então nos perguntamos não ‘quando esse ódio vai acabar’ mas ‘como começou’?”.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (no alto, à direita) e o cineasta Steven Spielberg (abaixo, à esquerda) receberam título honoris causa da Universidade Harvard nesta quarta-feira (26) (Foto: REUTERS/Brian Snyder)
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (no alto, à direita) e o cineasta Steven Spielberg (abaixo, à esquerda) receberam título honoris causa da Universidade Harvard nesta quarta-feira (26) (Foto: REUTERS/Brian Snyder)

O cineasta contou como sofreu bullying quando criança por ser judeu, e alertou que o antisemitismo e a islamofobia estão crescendo. Patra combatê-los, disse que os estudantes precisam ouvir as histórias dos outros e compartilhar as suas.

Também receberam o título honoris causa: El Anatsui, escultor de Gana; Mary L. Bonauto, advogada pioneira na defesa dos direitos LGBT; David Brion Davis, historiador especializado em escravidão e abolicionismo; Elaine Fuchs, cientista; Arnold Rampersad, escritor de Trindade e Tobago; Martin John Rees, astrofísico; e Judith Jarvis Thomson, filósofa.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − cinco =