Rio Olímpico? Baía de Guanabara ainda permanece poluída às vésperas das Olimpíadas

Em entrevista, diretor do COI diz que enxerga uma nova Baía.

Christophe Dubi, diretor-executivo do Comitê Olímpico Internacional (COI), cometou na tarde desta sexta-feira (22), sobre a notória poluição que ainda afeta a Baía de Guanabara e a Lagoa Rodrigo de Freitas, ambas localizada no Rio de Janeiro. De acordo com relatório do governo estadual, menos da metade do esgoto lançado é tratado na Baía e a meta inicial era de 80%.

Cristophe Dubi, diretor-executivo do COI, vê legado importante para o Rio de Janeiro (Foto: Vicente Seda)
Cristophe Dubi, diretor-executivo do COI, vê legado importante para o Rio de Janeiro (Foto: Vicente Seda)

O  diretor do COI afirmou que houve uma melhora visível, destacando também o legado de mobilidade urbana. Os testes na água já estão sendo feitos diariamente – o padrão usual é mensal – e, segundo o diretor de operações do Rio 2016, Rodrigo Tostes, com resultados superiores aos parâmetros mínimos exigidos.

– É outra Baía, toneladas de lixo recolhido. Ninguém pode duvidar do que ocorreu na Baía de Guanabara. É uma versão bem melhorada.

Além da questão da Baía de Guanabara, Dubi ainda afirmou que a organização está atenta a todos os detalhes para segurança durante a Olimpíada com as recentes ameaças terroristas. Mostrando confiança com base em opiniões também de especialistas internacionais que puderam ter acesso ao planejamento para o evento. Ele finalizou dizendo que a cidade passou por uma transformação.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 3 =