Estados Unidos voltam a debater a compra facilitada de armas

Os Estados Unidos se veem mais uma vez envolvidos em uma história de terror. 50 pessoas foram mortas a tiros durante uma festa que acontecia em uma boate voltada para o público LGBT, em Orlando. Outras 53 ficaram feridas, em sua maioria, latinos. A polícia ainda investiga as causas.

O atirador, que foi morto em confronto com policiais, se chamava Omar Mateen, de 29 anos. De acordo com as primeiras informações, Omar era norte-americano de origem afegã e pouco antes de invadir a casa de shows, ligou para o serviço de emergência declarando fidelidade ao grupo terrorista Estado Islâmico.

O presidente Obama, em declaração na Casa Branca, voltou a criticar a lei que permite o fácil acesso a armas. Ele disse ainda que este já é considerado o maior atentado a tiros da história dos Estados Unidos e o segundo maior atentado a vida humana, em solo americano, depois do 11 de setembro.

A polícia de Orlando comunicou que a área próxima à boate Pulse deve permanecer isolada para o trabalho da perícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 12 =