Ciência sem Fronteiras vai excluir graduação e focar no ensino médio

Programa será retomado com foco no ensino de línguas

Em nota divulgada na última segunda-feira (25), o governo federal declarou que vai deixar de conceder bolsas de intercâmbio a estudantes brasileiros da graduação pelo programa Ciência Sem Fronteiras (CsF). A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) afirmou que o programa, interrompido no ano passado, será retomado com foco no ensino de línguas “incluindo jovens pobres já no ensino médio matriculados em escolas da rede pública” e estudantes de pós-graduação.

A Capes afirma que o governo vai honrar as dívidas com os bolsistas que ainda estão no meio dos cursos no exterior. Segundo o órgão, os últimos estudantes do programa em seu molde original têm contrato de bolsa até o começo de 2017.

A coordenação ainda disse que o governo em exercício considera “elevado” o custo da graduação-sanduíche. De acordo com os dados divulgados na nota, em 2015 a Capes gastou R$ 3,248 bilhões para custear o intercâmbio de 35 mil bolsistas, “valor igual ao investido em alimentação escolar para atender 39 milhões de alunos”.

Assim, a mudança no programa envolve um novo enfoque nos estudantes do ensino médio e no ensino de línguas tanto no exterior como no Brasil.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 2 =